14 dezembro 2005
Gravidez ectópica - Parte 1 de 3

Corria o mês de Maio de 2004 quando nos lembramos, incentivados pela notícia de um bebé a caminho na família (o primeiro em quase 30 anos), que talvez estivesse na hora de aumentarmos a família. Afinal já estavamos juntos há quase 4 anos.
Preparamos tudo: deixar pílula, iniciar seguro de saúde, etc, e em Setembro pusemo-nos ao caminho sabendo que, à partida, pela minha história ginecológica, não iria ser rápido. Um ano depois e várias consultas, aconselhamentos, mudanças de médicos e alguns medicamentos, eis que surge a tão esperada notícia: Estávamos grávidos!
Apesar de estarmos há muito à espera, a novidade chegou inesperadamente numa noite de 2ª feira, por coincidência, no meu dia de aniversário. Inesperada porque aquele ciclo era especial. Pela 1ª vez num ano, ao 2º ciclo de Dufine, eu tinha conseguido detectar uma ovulação e sentia cada sintoma como se fosse uma vitória. Sabia tão bem que nem pensei que a minha felicidade ainda podia ser maior.
Alguns dias depois, numa típica 2ª feira cheia de problemas por resolver e algum mau humor à mistura, resolvi dar a mim própria uma prendinha de anos e comprar um teste. Pelas minhas contas o Sr. Período deveria chegar naquele dia e decidi, sem contar ao E., fazer o teste antes de me deitar. Assim se desse negativo, aquele dia não passava de um mau dia que terminaria depois de uma noite de sono.
Um pouco nervosa, atrapalhada por ser novidade e depois de ler as instruções, vesti o pijama e preparei-me para o teste. O meu coração pulava cada vez mais forte à medida que a urina inundava as duas pequenas janelinhas. Alguns minutos depois, à medida que o meu corpo gelava e paralisava, surgia o resultado. Como podia acreditar!
Só voltei à terra quando o E. entrou no quarto. Pedi-lhe que se sentasse e mostrei-lhe o teste sem dizer uma palavra. A sua reacção foi: Ah compraste um teste! Nem percebeu que o teste já tinha sido usado e que ali estava o nosso futuro! Olhou para mim… percebeu… e respondeu-me com um sorriso diferente. Um sorriso de felicidade que há muito estava guardado.
Depois de algumas horas de conversa pela noite dentro lá conseguimos dormir.
Depois da confirmação através de análise ao sangue, seguiram-se algumas semanas cheias dias radiosos, muita confiança, viagens, e alguns sintomas à mistura. A 1ª ecografia estava marcada para a 7ª semana e até lá tínhamos que ser pacientes e tentar não dar muito nas vistas para ninguém saber.
Chegou finalmente o grande dia. Tinha chegado a altura de sabermos como estava a nossa semente. Depois de alguns minutos de silêncio que me pareceram horas, ficamos a saber que algo não tinha corrido bem. O futuro tinha acabado naquele momento e foi insuportável.

Próximo capítulo: a pior semana da minha vida
 
nota da criolinha às 12:00 |


10 Comments:


At 14/12/05 2:54 da tarde, Blogger Anna72 

Ai amiga! Que estranha sensação de dejá vu! Sei perfeitamente o que sentes e até consigo adivinhar o que vem a seguir...embora o meu caso seja um pouco diferente do teu.

Um grande xi-coração para ti!

At 14/12/05 3:37 da tarde, Anonymous Desejando Um Anjo 

Olá querida

Bem, quase me revejo nas tuas palavras, que me trazem recordações ainda um pouco dificeis de aceitar.

Os meus últimos dias não têm sido fáceis emocionalmente. Comigo está tudo bem, mas tive uma noticia muito triste por parte de um colega de trabalho... enfim... a vida é tão injusta ás vezes...

E espero que o Pai Natal te traga AQUELE presente! Porque para mim parece-me que ainda não foi desta...

Jinhusss e pensamentos felizes!!

Ana

At 14/12/05 6:15 da tarde, Blogger Musa 

Olá Criolinha!
Nem consigo imaginar o que tenhas sentido...
Espero que bem cedo, esqueças os momentos menos bons e o teu futuro se volte a apresentar radioso.
Um grande beijinho e obrigada pela tua mensagem,
Musa

At 14/12/05 10:12 da tarde, Blogger Sonia 

Há situações pelas quais quem deseja TANTO ter um filho não deveria de passar... nem quero imaginar o que sentiste! :(((

At 15/12/05 11:15 da manhã, Blogger cate 

.......fizeste-me lembrar a primeira estrelinha!
Tanta felicidade acabou abruptamente num "NAO CORREU BEM!"
E mais nada... sentime encolher e desaparecer...
até passado um ano, aparecer outra estrelinha!
Força querida!
Estes momentos são muito dolorosos mas nós somos fortes
beijos enormes
cate

At 15/12/05 11:35 da manhã, Blogger Carla Isabel 

Ai amiga

Porque temos que passar por isto????

Se calhar para darmos mais valor ainda!

Bjs

Carla

At 15/12/05 8:19 da tarde, Blogger a 

Eu apenas te vou deixar um beijo muito grande.

At 16/12/05 9:11 da manhã, Blogger ... 

Querida Criolinha,

É bom deitar cá para fora. Desabafar ajuda. Também podia dizer aqui muitas coisas, mas acho que ambas já as sabemos.

Só não concordo com a última frase: o futuro não acabou...existes tu, existe a pessoa que amas, e existe com certeza uma enorme esperança!

Fica um beijinho muito, muito grande de alguém que sabe bem o que passaste.

At 16/12/05 1:25 da tarde, Blogger Susy 

Infelizmente também te entendo demasiado bem...
Apenas te quero deixar um beijo de coragem e carinho p'ra acreditares um pouco com mais força no futuro, por muito que te custe agora.
Um beijinho mt grande p'ra curar o teu dóidói...
susy

At 16/12/05 4:03 da tarde, Blogger CC 

Por um lado, acho que fazes bem deitar cá para fora toda a angustia que ainda guardas no teu coração, mas por outro lado acho que deves evitar o sofrimento ao máximo, para que voltes a engravidar bem rapidinho. O stress e a ansiedade influenciam muito. Bons pensamentos e muito optimismo... é o que precisas agora miga. Bjs